quarta-feira, 26 de abril de 2017

O que dizem os mock drafts


Estamos a menos de trinta horas do draft de 2017. Pela primeira vez desde que se mudou para Nashville, a franquia Oilers/Titans terá duas escolhas na primeira rodada. A oportunidade de escolher dois grandes atletas é muito boa, mas será que vamos conseguir capitalizar? De acordo com os principais mocks do período pré-draft, sim. Confira o que disseram alguns dos jornalistas mais respeitados dos EUA:

Peter King, SI.com:
5th - Ohio State CB Marshon Lattimore. Western Michigan WR Corey Davis.

Mel Kiper, ESPN:
5th - Ohio State CB Marshon Lattimore. 18th - Western Michigan WR Corey Davis

Todd McShay, ESPN:
5th - Ohio State S Malik Hooker. 18th - Clemson WR Mike Williams.

Daniel Jeremiah, NFL.com:
5th – Clemson WR Mike Williams. 18th – LSU CB Tre’Davious White

Steve Palazzolo, Pro Football Focus:
5th – LSU S Jamal Adams. 18th – Alabama TE O.J. Howard

Danny Kelly, The Ringer:
5th - Ohio State CB Marshon Lattimore. Washington WR John Ross

Chris Burke, SI.com:
5th – Ohio State CB Marshon Lattimore. 18th – Clemson WR Mike Williams.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

A seleção do Titans no draft


A seca de playoffs do Titans nas últimas oito temporadas está ligada ao péssimo desempenho do time no draft. Desde a saída de Floyd Reese, a franquia passou a fazer escolhas questionáveis que acabaram com qualquer chance de título na AFC South. Apesar de tudo, eu ainda consegui fazer uma seleção com os nossos "melhores" pick. Confira:

Ataque

QB Marcus Mariota (1/2/2015)
RB Chris Johnson (1/24/2008)
FB Jalston Fowler (4/108/ 2014)
WR Justin McCareins (4/124/2001)
WR Tajae Sharpe (5/140/2016 )
TE Bo Scaife (6/179/2005)
OT Michael Roos (2/41/2005)
OT David Stewart (4/113/2005)
OG Jacob Bell (5/138/2004)
OG Eugene Amano (7/239/2004)
C Justin Hartwig (6/187/2002)


Defesa

DE Jevon Kearse (1/16/1999)
DE Karl Klug (5/142/ 2010)
DT Albert Haynerworth (1/15/2002)
DT Jurrell Casey (3/77/2011)
OLB Keith Bulluck (1/30/2000)
OLB Derrick Morgan (1/16/ 2010)
ILB Stephen Tulloch (4/116/2006)
CB: Cortland Finnegan (7/215/2006)
CB: Jason McCourty (6/203/2009)
S: Michael Griffin (1/19/2007)
S: Tank Williams (2/45/2002)

*pick/round/ano

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Análise do calendário do Titans em 2017


Tudo na NFL é um grande evento. Sem jogos até o início de agosto, a liga precisa se mexer para ficar em evidência, e com muita competência, consegue transformar a divulgação do calendário em algo relevante para mídia e fãs. Após muitos rumores e informações desencontradas, o Titans finalmente ficou sabendo na noite de ontem a ordem das suas partidas na próxima temporada (imagem acima).

É muito legal saber contra quem vamos estrear, mas ao mesmo tempo bate uma tristeza enorme, afinal, estamos ainda a 142 dias do kickoff. Olhando por alto outros calendários, posso dizer que o Titans saiu com uma tabela excelente, uma das melhores da NFL. Veja o porquê:

Estrear contra o Raiders 

O Titans não vence na week 01 jogando em casa desde 2010, justamente contra o Raiders. Eu prefiro encarar oponentes fortes no início, e vamos fazer isso em 2017. Nas primeiras cinco semanas, o Titans vai enfrentar quatro equipes que foram aos playoffs na última temporada. Caso tudo dê errado, o time ainda vai ter tempo para se recuperar, e até os times mais completos da liga demoram para engrenar, por isso esses adversários podem estar “mais fracos” nos primeiros meses.

Bye após sete jogos

No ano passado o Titans fez doze jogos antes da sua semana de descanso. Praticamente um crime. Bye é muito importante e a gente vai folgar em uma das semanas mais desejadas por todos os times da NFL.

Dois jogos no oeste em sequência 

Final de temporada, time bastante cansado e o Titans recebe este presente da NFL. Enfrentar Cardinals e 49ERs fora de casa na sequência é uma das melhores coisas dessa tabela. Aposto que o time nem sequer viaja de volta para Nashville.

Encerramento contra Rams e Jaguars em casa

A maioria esmagadora dos times enfrentam os seus adversários de divisão nas últimas duas rodadas. O Titans fugiu dessa regra e ganhou como presente o L.A. Rams na week 16, um dos times mais fracos da NFL. No último jogo de 2017, o time recebe o Jaguars para a sua vingança.

Monday Night Football contra o Colts

Após dois anos, o Titans volta ao MNF, onde tem um ótimo retrospecto de 10 vitórias em 16 jogos. A partida será em Nashville, logo contra o Colts, equipe que não vencemos desde 2011. Será que agora vai?

segunda-feira, 17 de abril de 2017

O Titans no free agency 2017


O Tennessee Titans começou muito bem a reconstrução do seu elenco para a próxima temporada. No primeiro grande desafio da offseason, o GM Jon Robinson foi atrás de reforços para defesa e Special Teams. A baciada foi grande, com oito jogadores contratados e mais quatro recebendo uma renovação. Até o momento, deixaram o time nove atletas, e os cinco que estão sem contrato devem permanecer assim.

Veja quem chegou:

Defesa: S Johnathan Cyprien (Jaguars), CB Logan Ryan (Patriots) e NT Sylvester Williams (Broncos) 

Cyprien foi o primeiro a chegar e de forma surpreendente. O grupo de safeties não é ruim, mas como toda a defesa, não está em condições de recusar ajuda. Na minha opinião, o Titans trouxe uma peça para o seu quebra-cabeça, um jogador para exercer uma função específica. Cyprien vai ficar próximo ao box na maioria das jogadas e será o nickel LB em formações de passe. Ele foi um dos melhores da liga contra o jogo corrido, em 2016. Como dito por Robinson, não existe franquia na NFL que não tenha o combate ao jogo corrido como prioridade.

Para resolver o grave problema com os CBs, o Titans foi até New England buscar um titular nas duas últimas vitórias da equipe no Super Bowl. A ligação de Robinson com Ryan é antiga, vem desde o draft de 2013, quando ele convenceu Bill Belichick a selecionar o jogador de Rutgers na terceira rodada. Apto para jogar nas laterais e no slot, Ryan é um grande tackleador, algo que os nossos CBs não costumam fazer bem. Robinson estipulou a contratação de Ryan como prioridade nesse FA e ela veio em um ótimo momento.

Por fim, o Titans trouxe mais um especialista contra o jogo corrido. Com o NT Sylvester Williams, o time espera ter uma DL ainda mais física. Ex-escolha de primeiro rodada, ele, assim como Ryan, já jogou dois SBs em sua curta carreira na liga. Williams não foi muito bem em Denver, mas Robinson sempre acreditou em seu potencial e tem certeza que ele vai ser o NT que a franquia precisa.

Ataque: OL Tim Lelito (Saints)

Antes só do que mal acompanhado, né Lelito? Com poucos buracos no ataque, o Titans optou por trazer mais um atleta versátil para a sua linha ofensiva. Em New Orleans, Lelito jogou de C, OG, TE em formações de goal line e FB. Ele faz de tudo e vai ser muito útil.

Special Teams: CB Demontre Hurst (Bears), S Brynden Trawick (Raiders), LB Daren Bates (Raiders) e KR Eric Weems (Falcons)

O Titans resolveu acabar com os seus problemas com o Special Teams. De uma só vez, Robinson trouxe quatro reforços para o setor mais fraco do time na última temporada.

Nenhum touchdown, dois TDs cedidos, três onside kicks perdidos, pouquíssimas jogadas de impacto e uma troca de técnico. Esse foi o saldo do pior ST da história da franquia.



Voltaram: QB Matt Cassel, TE Phillip Supernaw, IL Karl Klug e LB Nate Palmer 

Queria muito a volta de Cassel e Klug. Com a lesão do Mariota, o Titans acabou ficando obrigado a renovar com o Cassel, uma vez que buscar um QB jovem no draft seria mais arriscado. Klug sofreu uma lesão séria na week 15 e talvez a sua renovação tenha sido precipitada, mas os médicos e Robinson acreditam que ele vai conseguir atuar bem em todo o ano. Supernaw e Palmer são jogadores em ascensão, e podem contribuir bem quando entrarem em campo.



Saíram: WR Kendall Wright (Bears), TE Anthony Fasano (Dolphins), OL Byron Bell (Cowboys), OG Chance Warmack (Eagles), C Brian Schwenke (Colts), NT Al Woods (Colts) LB Sean Spence (Colts), CB Antwon Blake (Giants),  CB Jason McCourthy (Sem Time), RB Antonio Andrews (Sem Contrato), OLB David Bass (Sem Contrato), S Rashad Johnson (Sem Contrato), S Daimion Stafford (Sem Contrato), KR Mark Mariani (Sem Contrato) 

É muito jogador ruim junto. Nessa lista, apenas McCourthy e Woods foram cortados. Os outros não tiveram os seus contratos renovados, sendo que o Fasano chegou a receber uma proposta de renovação. Todos foram tarde e mostram como o Titans fez tudo errado nos drafts sob a gestão do Ruston Webster

terça-feira, 7 de março de 2017

Elenco do Titans para 2017


O elenco do Titans está próximo de mudar bastante. A partir da próxima quinta-feira, 9, a equipe poderá assinar com os jogadores que estão sem contrato. Há vários nomes bons disponíveis e abaixo você pode ver uma análise de todos os setores do time. Confira:

Quarterback

2016: 2 (Mariota, Cassel)
2017: 2 (Mariota, Cassel)

Ao que tudo indica, o Titans tinha outros planos para o seu grupo de QBs, mas com a contusão de Mariota, o time se viu obrigado a renovar com o veterano Cassell, jogador que vai ser o reserva do nosso grande astro até 2018.

Wide Receiver

2016: 6 (Matthews, Sharpe, Johnson, Wright, Douglas, Mariani)
2017: 4 (Matthews, Sharpe, Douglas, McBride)

Dez em cada dez torcedores do Titans sabem que o time precisa de novos WRs. Matthews e Sharpe são bons jogadores, porém o restante do grupo é inútil. Wright sai sem deixar saudades, e eu espero que Douglas tenha o mesmo destino.

Rumores dizem que Robinson está tentando uma troca pelo Brandin Cooks, do Saints, WR que chegaria a Nashville com status de titular absoluto. Mesmo perdendo a quinta escolha no draft, o Titans ainda pode encontrar bons valores na primeira rodada. Opções não faltam e podem esperar reforços neste setor.

Ofensive Tackle

2016: 3 (Lewan, Conklin, Kelly)
2017: 3 (Lewan, Conklin, Kelly)

Setor mais forte do elenco. Não há necessidade de nenhum reforço.

Ofensive Guard

2016: 3 (Spain, Kline, Tretola)
2017: 3 (Spain, Kline, Tretola)

Spain e Kline foram surpresas agradáveis, em 2016, porém acho que a chegada de um jogador para competir com eles uma decisão inteligente. Tretola tem todos os atributos físicos para ter uma carreira boa na NFL, mas vai precisar evoluir bastante se quiser ficar no elenco este ano.

Center

2016: 2 (Jones, Schwenke)
2017: 1 (Jones)

Aqui o Titans precisa de ajuda. Jones é um ótimo jogador, porém é o único center no elenco. Schwenke, que também pode atuar como guard, seria muito bem-vindo em Nashville.

Tight End

2016: 4 (Walker, Fasano, Amaro, Supernaw)
2017: 3 (Walker, Amaro, Supernaw)

Na maioria dos ataques da NFL os TEs não chamam muita atenção, mas no Titans eles são quase protagonistas. O time raramente usa formações com apenas um TE, por isso a diretoria deve ir atrás de reforços. O draft está repleto de bons talentos e eu acho que o time vai escolher um deles. Gostaria de ter o Fasano de volta, mas não seria nada demais deixar ele assinar com outra franquia.

Running back

2016: 4 (Murray, Henry, Andrews, Fowler)
2017: 4 (Murray, Henry, Andrews, Fowler)

Não vejo necessidade de mudanças aqui, mas não acharia ruim trocarmos o Andrews por um RB mais leve e veloz.

Nose Tackle

2016: 2 (Woods, Johnson)
2017: 2 (Woods, Johnson)

Woods é um bom NT, nada além disso, já Johnson conseguiu entrar na rotação dos DLs logo em seu primeiro ano na liga. Gostaria de ver um nome de peso chegando para ocupar a titularidade, mas isso não deve acontecer.

Defensive End

2016: 4 (Jones, Casey,  Klug, Blackson)
2017: 3 (Jones, Casey, Blackson)

Apesar de termos dois jogadores talentosos, Casey e Jones, este é um setor que precisa de muitos atletas. Klug se lesionou gravemente ao final de 2016, por isso acho que não volta. Caso isso se concretize, o Titans precisa ir atrás de uma reposição à altura.

Outside Linebacker

2016: 5 (Morgan, Wallace, Dodd, Orakpo, Bass)
2017: 4 (Morgan, Wallace, Dodd, Orakpo)

Morgan e Orakpo são titulares absolutos e isso não deve mudar. Dodd foi uma decepção, em 2016, mas deve ganhar mais snaps agora que vai participar de todas as atividades da pré-temporada. Como os dois principais OLBs estão há mais de sete anos na NFL, acredito que o ideal seria buscar mais um jogador no draft.

Inside Linebacker

2016: 4 (Williamson, Woodyard, Palmer, Spence)
2017: 2 (Williamson, Woodyard)

Williamson é muito eficiente parando o jogo corrido, mas não consegue cobrir ninguém. Woodyard, por sua vez, é ótimo contra os TEs, porém perde tackles importantes. Apesar de ter recebido muitos snaps, acredito que Spence não retorna. O Titans vai atrás de dois jogadores nessa posição, pode apostar.

Cornerback

2016: 8 (McCourty, Cox, McCain, Blake, Sims, Riggs, Riley, Reed)
2017: 5 (McCourty, Sims, McCain, Riley, Reed)

Aqui está a dor de cabeça do Titans. O grupo de CBs é fraco e vai chegar ao free agency com apenas cinco jogadores. Como temos muito espaço na folha salarial, não faz sentido cortar o McCourthy. Logan Ryan, do Patriots, pode vir, assim como A.J. Bouye, do Texans. Para a nossa sorte, há bons nomes no FA, e no draft a abundância é ainda maior. Se fizer um bom trabalho, o Titans tem tudo para ter uma secundária sensacional.

Safety

2016: 4 (Byard, Stafford, Rashad Johnson, Searcy)
2017: 2 (Byard, Searcy)

A dupla Byard e Searcy dá conta do recado, mas o Dick LeBeu não costuma jogar apenas com dois safeties. Não vejo a necessidade da chegada de um nome de peso para este setor, mas se vier, o Titans não vai estar cometendo nenhum erro.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

O melhor e o pior do Titans no first round do draft



Há alguns dias, o pessoal do site do Music City Miracles elegeu o pior pick do Titans no draft. Fui além. Fiz um ranking com as nossas escolhas no primero round. Levei em conta todos os atletas selecionados pelo Tennessee Titans, ou seja, a partir de 1999. Desde então, tivemos quatro GMs: Floyd Reese (99-06), Mike Reinfeldt (07-11), Ruston Webster (12-15) e Jon Robinson (16 ...). Reinfeldt era GM em 2012, mas a palavra final no draft foi do Webster.

Eis a lista:

1. Keith Bulluck (2000)

Um dos LBs mais underrateds da história da NFL. Bulluck não tinha o perfil atlético dos jogadores da sua posição, mas isso nunca o impediu de ser um jogador completo. Perfeito na cobertura e ótimo contra o jogo corrido. Não criei a sua comunidade no Orkut à toa, né? Lenda!

2. Marcus Mariota (2015)

Terceiro QB selecionado pelo Titans na primeira rodada desde 2006. Uma hora a gente ia acertar e eu acho que o tiro foi no alvo. Mariota tem o melhor de Young e Locker, porém sem os seus defeitos. Não vai demorar muito para o garoto do Havaí ocupar a primeira colocação neste ranking.

3. Jevon Kearse (1999)

Poucos calouros causaram tanto impacto na NFL quanto o Kearse. Até hoje, ele é o recordista de sacks entre os rookies. Foi peça fundamental de grandes defesas do Titans em duas épocas distintas

4. Albert Haynesworth (2002)

Possivelmente o jogador mais talentoso da lista. Entre 2007 e 2008 jogou como nenhum outro defensor da história da franquia. Com o Big Al a defesa era dominante, sem ele um lixo. Jim Schwartz virou HC por conta das suas absurdas atuações, quando chegava a atrair marcações triplas.

5. Chris Johnson (2008)

Em una franquia com grandes RBs não é fácil entrar para a história, mas Johnson fez isso rápido. Em seu segundo ano na NFL, o homem mais rápido no 40-yard dash conseguiu mais de duas mil jardas e o recorde de jardas de scrimmage. Era o jogador certo para uma OL excelente. Quando o nível dos bloqueadores caiu, o CJ2K sumiu.

6. Taylor Lewan (2014)

Uma escolha estranha, mas que logo se tornou certeira. Após vários OTs não vingarem na liga, Lewan mostrou logo de cara que seria capaz de ser um grande LT. Vive seu melhor momento e hoje é uma estrela na NFL.

7. Jack Conklin (2016)

Primeira escolha da era Jon Robinson, Conklin foi motivo de piada no draft, mas agora quem está rindo é ele, o primeiro calouro a ser OT All Pro desde a criação do Super Bowl. Chupa!

8. Derrick Morgan (2010)

Jogador do quase. Morgan é titular e peça fundamental no time até hoje, mas nunca conseguiu uma temporada de mais de dez sacks. Em 2016, ele ficou no quase novamente. Vale ressaltar que fez muito bem a transição da defesa 4-3 para a 3-4.

9. Michael Griffin (2007)

Campeão universitário em 2005, Griffin nunca conseguiu ficar entre os grandes safeties da liga. Ao menos sempre mostrou muita garra e liderança.

10. Kendall Wrigth (2012)

Apontado como um dos atletas mais explosivos do draft, Wright viveu de flashes em Nashville. Faltou inconsistência e talento para se adequar às mudanças no ataque. Fez a sua última temporada na franquia.

11. Chance Warmack (2013)

Pegar um OG no top 10 do draft nunca é muito inteligente, mas Warmack chegou com o status de pick mais seguro do recrutamento. Apesar de toda habilidade física, o atleta de Alabama jamais foi um bloqueador dominante.

12. Vince Young (2006)

Talvez o atleta mais imaturo da lista. Muito talento, bastante liderança, mas pouca capacidade de lidar com fases ruins. Foi mimado demais no college e não conseguiu enfrentar a realidade na NFL. Briga com Jeff Fisher acabou custando o emprego de ambos.

13. Kenny Britt (2009)

Um grande talento em campo e um inconsequente fora dele. Jamais atingiu o seu potencial e foi embora sob vaias.

14. Andre Woolfolk (2003)

O elenco do Titans estava envelhecendo e precisava de ajuda o mais rápido possível. Woolfolk tinha todos os atributos físicos para se tornar um grande CB, mas nunca conseguiu jogar no nível que a NFL exige.

15. Jake Locker (2011)

Homem de muito caráter, porém pouca saúde. Quando dava mostras que poderia vingar, sempre sofria com contusões. Por ter sido um bust em um dos draft mais talentosos da história, infelizmente amarga uma das últimas posições.

16. Pac Man Jones (2005)

De uma só vez, o Titans consertou os seus problemas na secundária e no Special Teams, porém a festa durou muito pouco. O explosivo jogador destruiu a sua carreira após a grande temporada de 2006. Ficou insustentável manter Jones no elenco. Com ele em Nashville, o Titans podia ter chegado muito mais longe nos playoffs de 2007 e 2008.


Titans trocou a sua escolha em 2001 pelo Kevin Carter, um dos melhores DEs da liga. Foi um bom jogador aqui. Três anos depois, com várias estrelas deixando o clube, Reese optou por acumular picks. Foram 13 seleções e ninguém vingou.


sábado, 24 de dezembro de 2016

Jogo #15 - Titans 17 x 38 Jaguars

Essa semana estava dizendo ao meu filho: "Esse é o tipo de jogo que o Titans costuma perder!"; é evidente que esse time não está pronto! Temos sim boas peças, essa temporada está sendo boa prá nos mostrar isso, mas a verdade é que ainda faltam muitas partes importantes ...
Acho que essa derrota é uma mistura de muitas coisas, prá mim as três principais são:
1º - concordo e muito com o Diego Scorvo que esse jogo é um terrível maching up prá nossa secundária, e sem o Klug prá atormentar o centro da linha, ficou pior. McCain (#23) e Valentino Blake (#47) são horrorosos e o HC dos Jaguars sabe disso lançou o dia inteiro em cima deles ... Bortles parecia o Tom Brady ... 
2º - o maching up dos nossos WRs contra a secundária dos Jaguars é bem ruim também, basicamente, eles colocaram Ramsey em cima do Matthews e Cypren em cima do Walker. Um S na sobra de um dos dois, os demais WRs/TEs foram marcados homem x homem, então, a cada jogada eles atacavam a linha com 7 ou 8 jogadores, matando o nosso jogo corrido, sendo que os passes estavam sob controle.
3º - Acho que esse foi o pior trabalho da comissão técnica no ano! O time estava claramente despreparado para esse jogo ... muito disso passa pela cabeça dos jogadores que pareciam pensar que era só entrar em campo e o jogo estaria ganho. Isso é Futebol Americano filho, vc tem que jogar, ninguém ganha de véspera!
Nossa situação é a seguinte: se Colts perder (o que é bem possível) e Texans também (o que é bem difícil) permaneceremos na briga, e eu gostaria de vê-lo jogando os 16 jogos. Cada jogo é importante para o desenvolvimento do garoto.
Foi brabo esse jogo, mas NFL é assim mesmo quando se tem um time em desenvolvimento: tem dia que é um sonho, tem dia que é ridículo!
Hoje foi Ridículo!

A pior notícia do dia não foi a derrota, e sim a contusão de Marcus Mariota, que foi confirmada como fratura de fíbula e o tira da temporada. Nossas orações vão para o QB nesse momento difícil e que a recuperação seja boa!